OVÁRIO POLICÍSTICO PODE CAUSAR ATÉ CÂNCER DE ENDOMÉTRIO

Muitas mulheres se queixam de acne, pele oleosa, queda de cabelos, facilidade para engordar e dificuldade para emagrecer, porém muitas não consideram a hipótese de procurar um ginecologista quando estes problemas aparecem e são surpreendidas ao descobrirem que estes sinais podem ser sintomas da SOP - Síndrome do Ovário Policístico. 

A ginecologista Emanuelli Alvarenga Silva, do Hospital e Maternidade Beneficência Portuguesa, de Santo André, explica que a síndrome é muito comum e chega a afetar 5% a 10% da população feminina entre 11 e 40 anos.

A medicina desconhece as causas exatas do problema, mas sabe-se que estão relacionadas ao aumento na produção de insulina e a diminuição de sua ação nas células do organismo, o que leva ao aumento da produção de andrógenos - hormônios masculinizantes - pelos ovários. Além disso, há uma disfunção no equilíbrio de dois hormônios da hipófise, responsáveis pelo controle dos ovários.

Segundo a médica, o problema ocorre quando o desenvolvimento dos folículos ovarianos não se completa e acaba formando os cistos, que se acumulam na superfície dos ovários, fazendo-os aumentar de volume. Entre outros sintomas da síndrome também estão pelos em lugares pouco comuns, ciclos menstruais irregulares, ausência de ovulação e presença de múltiplos cistos pequenos em ambos os ovários. 

Investigando o problema 

A síndrome pode ser diagnosticada por meio de exame de imagem e de toque, normalmente o ovário policístico tem o dobro do volume do órgão normal. Exames laboratoriais para avaliação do padrão hormonal também são solicitados. 

"No processo de diagnóstico é importante descartar outras doenças como tumores secretores de andrógeno, doenças da glândula suprarrenal e aumento da produção de prolactina", explica.  Uma mulher com a síndrome dos ovários policísticos possui mais dificuldades para engravidar e os riscos de aborto e complicações não estão descartados. 

"Outra problemática é a exposição do endométrio ao estrogênio, que pode propiciar o aparecimento de câncer de endométrio, que é três vezes maior em mulheres com Síndrome de Ovários Policísticos", alerta Emanuelli. Este desequilíbrio hormonal pode aumentar o risco de diabetes, pressão alta, queda do colesterol bom e alteração nas gorduras do sangue. 

O tratamento dependerá da fase da vida da mulher, mas no geral será direcionado aos sintomas da síndrome, já que suas causas são desconhecidas. Portanto o desequilíbrio hormonal, o sobrepeso, os hormônios e a ovulação deverão ser tratados e regulados. 

As mulheres precisam saber que existem diferenças entre cistos nos ovários e a síndrome do ovário policístico, que está justamente no tamanho e na quantidade de cistos. Na síndrome, existem cerca de 10 a 20 pequenos cistos com meio centímetro de diâmetro. Já os cistos de ovário são únicos e medem de 3 a 10 centímetros.

Fonte: Bonde

 

 

 



Av. dos Andradas, 3323 - Sala 804 - Sta Efigênia - B.Horizonte
Tel.: (31) 2510-3355 e (31) 2510-3311
Próximo ao Hospital Militar, estacionamento pela Av. Contorno
Como Chegar
Veja no Google Maps como
chegar em nossa clínica