EXERCÍCIOS AJUDAM A REDUZIR SINTOMAS DA ENDOMETRIOSE

Cerca de 10% das mulheres em idade fértil sofrem com a endometriose. Infertilidade e dor pélvica crônica são os principais sintomas dessa doença crônica que é caracterizada pelo crescimento anormal do endométrio, tecido que reveste o útero.

O tratamento, que pode ser medicamentoso ou cirúrgico, é a melhor forma para reduzir a dor e/ou recuperar a fertilidade. Entretanto, os remédios usados no combate à endometriose podem conter hormônios e, portanto, podem levar ao aumento do peso e à retenção de líquidos.

Uma recomendação importante para as mulheres diagnosticadas com endometriose é adotar hábitos de vida saudáveis, entre eles a prática regular de atividade física. "Infelizmente, o nível de sedentarismo na população brasileira é alto. A vida agitada das grandes capitais leva as pessoas a caminharem menos e a ficarem mais tempo sentadas. Porém, a prática de uma atividade física é essencial para todos, inclusive para quem tem uma doença crônica como a endometriose", diz o cirurgião ginecológico Edvaldo Cavalcante.

Um estudo publicado no periódico científico Journal of Physical Therapy Science descobriu que um programa de oito semanas de exercícios é eficaz na redução dos sintomas da endometriose e na melhora de anormalidades posturais relacionadas às dores pélvicas. "O que ocorre é que a dor pélvica pode levar a mulher a adotar uma postura mais curvada, levando a uma cifose [corcunda]. Portanto, se ela pratica uma atividade física que trabalhe a postura, por exemplo, como o Pilates, é esperado que esse aspecto melhore", comenta Marília Gabriela, coordenadora do Grupo de apoio às portadoras de Endometriose e Infertilidade (Gapendi), em comunicado enviado à imprensa.

O ginecologista esclarece que as atividades físicas ajudam o organismo a produzir dois neurotransmissores: serotonina e dopamina. A primeira traz sensação de bem-estar e ajuda a aliviar a ansiedade. A serotonina também ajuda a regular as vias sensoriais ligadas à dor e, pode, portanto, contribuir no controle deste sintoma. A dopamina, por sua vez, também fica mais disponível por meio dos exercícios e ajuda na sensação de prazer e bem-estar, assim como atua na memória, humor e concentração.

Controle do peso

Para as mulheres que usam hormônios para tratar a endometriose, a prática regular de um exercício é um aliado importante para ajudar no controle do peso. "A alimentação deve ser balanceada, mas é ideal somar à dieta alguma atividade física. Lembrando que esses bons hábitos não servem apenas para o tratamento da endometriose, mas contribuem também para que a mulher previna condições futuras, como as doenças cardiovasculares, muito comuns na menopausa", diz Edvaldo Cavalcante.

Caminhada, natação, Pilates, musculação, treinos funcionais, dança e ciclismo são exemplos de práticas que ajudam as mulheres. Ainda assim, é preciso consultar um profissional antes de começar a fazer qualquer exercício. O ideal, segundo o especialista, é dedicar 30 minutos por dia ou 60 minutos de três a quatro vezes por semana às atividades.

"Tudo na vida é uma questão de hábitos. Quando a pessoa é sedentária, pode ser mais difícil no começo, mas depois, certamente o tempo irá mostrar os benefícios para a saúde como um todo, sendo ainda uma estratégia importante para lidar com a endometriose", afirma o médico.

Fonte: Revista Encontro

 



Av. dos Andradas, 3323 - Sala 804 - Sta Efigênia - B.Horizonte
Tel.: (31) 2510-3355 e (31) 2510-3311
Próximo ao Hospital Militar, estacionamento pela Av. Contorno
Como Chegar
Veja no Google Maps como
chegar em nossa clínica