CÓLICA MENSTRUAL PODE SER SINAL DE ENDOMETRIOSE

Grande parte das mulheres sofre de cólicas menstruais fortes, tendo que modificar sua rotina durante este período do mês. Muitas fazem uso de analgésicos ou antiinflamatórios, mas existem casos em que o remédio não é suficiente para aliviar a dor, por isso é importante uma investigação médica para descobrir a causa real da cólica.

Quando a mulher menstrua, é o endométrio (mucosa que reveste o interior da cavidade uterina) que descama. Em 80% das mulheres, uma parte desse endométrio volta e cai dentro da pelve. É o que chamamos de menstruação retrógrada, que não é necessariamente sinal de doença. Nas mulheres com endometriose, porém, essas células formam o que chamamos de implantes. “Toda vez que a mulher menstrua, aquele pedacinho de endométrio no lugar errado “menstrua” também, e a doença progride. Esses implantes podem ir para ovário, intestino, bexiga, e até para os pulmões”, afirma o ginecologista Eduardo Schor.

O sintoma principal é a cólica, mas também pode haver dor durante as relações sexuais e infertilidade. As cólicas da endometriose surgem durante o período menstrual e vão embora logo em seguida. Por isso, são confundidas com as cólicas menstruais normais. Schor enfatiza que a cólica da mulher que tem endometriose é progressiva, ou seja, com o passar do tempo ela vai piorando. As medicações usualmente utilizadas deixam de surtir efeito e, em alguns anos, a mulher já não consegue mais realizar suas atividades diárias.

A cólica “normal” é aquela que passa com um simples analgésico ou anti-inflamatório. Portanto é necessário um acompanhamento médico, realizando diversos exames para se obter a certeza da origem da dor, evitando assim um agravamento do quadro que pode levar a infertilidade. Lembra do aforisma de gerações passadas? “cólica quando casar passa!”Isso era verdade, naquele tempo as mulheres casavam e tinham filhos perto dos 20 anos, e esta gestação precoce impedia que a endometriose acontecesse. Hoje isso não faz parte do padrão de comportamento da mulher moderna. A grande maioria estuda, faz pós graduação e depois entra mercado de trabalho, só vão querer casar perto dos 30 anos. Ai, muitas, quando vão querer engravidar descobrem que tem dificuldades. E, descobre-se a endometriose. Portanto, “cólica menstrual não é normal !!!” O diagnóstico precoce da endometriose é fundamental para que o tratamento tenha êxito e a mulher preserve sua qualidade de vida e capacidade de engravidar!

Fonte- Ginecologista Eduardo Schor, chefe do setor de Algia Pélvica e Endometriose da Unifesp ( Universidade Federal de S. Paulo)

 



Av. dos Andradas, 3323 - Sala 804 - Sta Efigênia - B.Horizonte
Tel.: (31) 2510-3355 e (31) 2510-3311
Próximo ao Hospital Militar, estacionamento pela Av. Contorno
Como Chegar
Veja no Google Maps como
chegar em nossa clínica