DEZ SINAIS INDICAM NECESSIDADE DE ESPECIALISTA EM REPRODUÇÃO

Para alguns casais, o caminho para formar uma família pode ser um pouco mais longo e com alguns obstáculos. A medicina oferece tratamentos que ajudam essas pessoas a conquistar o objetivo de serem pais. Mas, para que o especialista possa ajudar, é preciso que o casal fique atento a alguns sinais e aceite que é necessário buscar auxílio. 

Com o auxílio de Carlos Alberto Petta, ginecologista, obstetra e coordenador médico do Centro de Reprodução Humana do Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo, o Terra preparou uma lista com dez sinais que indicam se existe a necessidade de procurar um médico da área. 

1. Período de tentativa
O tempo que o casal está tentando engravidar é o primeiro sinal que indica se deve buscar um especialista em reprodução. Existem dois períodos que variam de acordo com a idade da mulher. Se a paciente tem até 38 anos e está mantendo relações sexuais frequentes a mais de um ano, sem o uso de qualquer tipo de contraceptivo e não consegue engravidar, o casal deve procurar um especialista para que seja feita uma investigação da fertilidade de ambos. Caso a mulher tenha mais de 38 anos, esse tempo de tentativa deve cair para seis meses. Alguns médicos sugiram um semestre para pacientes já a partir dos 35 anos. 

"Um fator muito importante do prognóstico é o tempo. Quanto maior for o tempo de tentativas de engravidar sem sucesso, menores são as chances de que este casal engravide por meio de técnicas mais simples. E maior o risco de ter que passar por uma fertilização in vitro", explica o médico. 

2. Idade da mulher
A idade da mulher é outro fator que conta quando o tema é fertilidade. De acordo com Carlos Alberto, 40% das mulheres com 40 anos vão ter dificuldades para engravidar. O fenômeno acontece porque à medida que o tempo passa, a reserva ovariana da mulher diminui e qualidade das células, também. 

"Quando a mulher chega aos 30 anos, a fertilidade começa a cair, mas lentamente. Depois dos 35 anos, essa queda passar a ser mais rápida. Por isso, quanto maior a idade, menor as chances de engravidar. E a pressa em investigar e tratar também é maior", afirma Carlos. 

3. Tabagismo
O homem e a mulher fumante têm que se preocupar em procurar um especialista em reprodução humana se não conseguir engravidar em seis meses de tentativas frequentes e sem contraceptivos. O vício pode afetar a qualidade dos óvulos da mulher, causando o envelhecimento precoce das células. No homem, o cigarro pode diminuir a produção e qualidade de espermatozoides. 

4. Obesidade
A obesidade é outro fator que pode ser considerado a causa, ou agravante, de um problema de fertilidade. O casal em que um dos parceiros ou ambos tiver problemas com a balança deve procurar ajuda medica depois de seis meses de tentativas para engravidar. 

A obesidade causa um desarranjo hormonal e influencia na produção de espermatozoides do homem e na ovulação da mulher. 

5. Infecções
As infecções, como clamídia e prostatites, mesmo depois de curadas, podem deixar sequelas para a fertilidade humana. A clamídia, por exemplo, pode causar uma obstrução das trompas de falópio. E as prostatites, dependendo da intensidade, podem deixar o homem sem a presença de espermatozoides no sêmen, a chamada azospermia. 

Casais que têm um histórico de infecções do aparelho reprodutor devem ficar de olho no tempo em que estão levando para engravidar. Segundo Carlos, neste contexto o casal deve tentar seis meses antes de procurar um especialista. 

6. Endometriose
A endometriose também pode ser uma causa de problema de fertilidade. Por isso, mulheres que têm a doença precisam ficar atentas ao grau de dificuldade que terão para engravidar. 

"A paciente que tratou uma endometriose não precisa esperar um ano de tentativas para procurar ajuda médica. Em seis meses, ela e o parceiro já podem passar por uma investigação", aconselha o médico. "A endometriose pode afetar a fertilidade da mulher de mais de uma forma. Uma delas é que a cicatrização da inflamação, causada pela presença de endométrio onde não deveria ter, pode comprometer as trompas." 

7. Cirurgias ginecológicas
Mulheres que passaram por cirurgias ginecológicas, como de miomas e retirada de cisto de ovário, também devem ficar ligadas na hora de tentar engravidar. "O problema desses tratamentos é a cicatrização no aparelho reprodutor. O processo pode comprometer as trompas", exemplifica Carlos. 

8. Menstruação irregular
Menstruação irregular é sinal de problemas de ovulação. De acordo com o obstetra, os ciclos da mulher têm que durar entre 25 e 35 dias. Quando a paciente apresenta algum distúrbio nos ciclos e está com dificuldade para engravidar, um especialista em reprodução humana deve ser procurado. 

9. Diabetes
O diabetes é um distúrbio metabólico que pode causar problemas de fertilidade para o homem e para a mulher. Normalmente, quando a doença está controlada, a fertilidade também está em dia. Mas, se estiver entre altos e baixos, ela pode prejudicar a regularidade ovulatória da mulher e, no homem, a produção de espermatozoides e a capacidade de ereção. 

10. Varicocele
Os homens que têm varicocele precisam ficar atentos ao período de tentativas para engravidar a parceira. Nos estágios mais agudos, a varicocele afeta a produção de espermatozoides e pode gerar dificuldades para realizar o sonho de formar uma família.

Fonte: http://www.terra.com.br

 



Av. dos Andradas, 3323 - Sala 804 - Sta Efigênia - B.Horizonte
Tel.: (31) 2510-3355 e (31) 2510-3311
Próximo ao Hospital Militar, estacionamento pela Av. Contorno
Como Chegar
Veja no Google Maps como
chegar em nossa clínica